quarta-feira, 23 de setembro de 2009

Hedgehogs

Espinhos, espinhos e mais espinhos... Tá, vamos concordar que espinhos não são a melhor imagem para nos remeter a conforto, carinho e graciosidade, certo? ERRADO!
Incrivelmente, os hedgehogs (ou porcos-espinhos) conseguem reunir todas essas qualidades, sendo quase impossível olhá-los e ficar indiferente. Duvida?!?
Ah, e eu aposto que você já cruzou com um deles e não sabia...



Esses animais são de origem africana, européia e também podem ser encontrados em alguns países da Ásia. A espécie mais comum como pet é o Porco-espinho Pigmeu Africano (African pygmy hedgehogs – Atelerix albiventris), porém a espécie européia também pode ser criada em cativeiro. Seu tamanho varia entre 15 e 25 cm, pesando no máximo 700 gramas (fêmeas podem ser maior que machos). As cores podem variar, mas os padrões principais são os chamados de “sal e pimenta” (“salt and pepper”, acinzentado com toques de branco nas pontas dos espinhos) e o “floco de neve” (“snowflake”, todo branco).



Nos Estados Unidos, sua venda é liberada desde que os mesmos tenham vindo de criadouros licenciados. O governo americano proibiu a importação desses animais em 1991 devido ao risco de trazerem o vírus da febre aftosa consigo. Na Inglaterra sua venda também é liberada, porém soube que é muito difícil encontrá-los a venda. Bom, se os ingleses não encontram essas pequenas criaturas para comprar, o que fizeram então? Fácil: que tal atrair pequenos espinhudos para seu próprio quintal? Há inúmeros sites de associações inglesas que ensinam as pessoas a como atrair Hedgehogs para suas casas (http://pages.123-reg.co.uk/ron36-67716/www.hedgehogs.me.uk/id2.html e http://www.wildaboutbritain.co.uk/how-attract-hedgehogs-your-garden).

Tantos espinhos assim só podem significar uma coisa: defesa! É comum se enrolarem formando uma “bola de espinhos” para protegerem o rosto, pés e barriga (quem jogava Sonic sabe muito bem como é!). Além disso, eles possuem uma proteína chamada erinacina (encontrada no músculo esquelético) que inibe atividade proteolítica e hemorrágica de venenos. Em outras palavras, eles têm uma defesa natural contra os efeitos tóxicos e hemorrágicos dos venenos. Demais, não?? E ainda tem mais: justamente por causa dessa tal proteína, os hedgehogs podem se alimentar de pequenas serpentes e sapos venenosos. Falando em alimentação, ela é bem variada incluindo insetos, pequenos lagartos e roedores, ovos, raízes de plantas, cogumelos e frutas.

No mais, são criaturas solitárias, de hábitos predominantemente noturnos (em cativeiro, podem dar o “ar da graça” durante o dia). Eles possuem olhos pequenos, tendo olfato e audição mais desenvolvidos. Falando em audição, a espécie africana possui um enorme repertório de sons para se comunicar e se expressar, chegando a produzir e ouvir sons com freqüência entre 40 – 90kHz, acima da capacidade humana de audição.


Outro hábito curioso: quando encontram substâncias com odores novos (tecidos como couro, comidas que não conhecem, pêlos, suor e até remédios) eles lambem (ou mastigam) a substância, produzindo então uma saliva de aspecto espumante que depois é retirada da cavidade oral e colocada entre os espinhos de diferentes locais do corpo. Alguns animais podem fazer um verdadeiro jogo de contorcionismo (quem quiser ter uma visão disso, basta ir no youtube e digitar “hedgehog anointing” que há dezenas de vídeos disponíveis)! Ainda não se sabe por que os hedges fazem isso, algumas teorias dizem que essa substância poderia reduzir a quantidade de parasitas da pele, ou mascarar seu odor para não atrair predadores e sendo que alguns acreditam até que eles utilizam essa técnica como uma forma de mostrar uns para outros os “odores” que seu habitat possui. Hum... Digamos que este não deve ser o hábito mais atraente, mas que é curioso, isso é!

Concluindo, os hedgehogs não são animais populares no Brasil. Por aqui, existem poucas espécies já que sua venda é proibida por se tratar de um animal exótico. Mas peloo mundo afora, essas criaturinhas espinhudas já cativaram muita gente!